Você conhece os impactos causados pela hipocalcemia?

Prof. Rafahel Carvalho de Souza

Med.Vet. Bruno Machado Saturnino

 

A hipocalcemia é uma desordem metabólica-nutricional relacionado a deficiência de cálcio ao parto e início da lactação, sendo a manifestação subclínica a forma mais prevalente e responsável em grande parte pelos prejuízos. Reinhardt et al. (2011) e Santos et al. (2012) observaram valores de incidência semelhantes em estudos realizados nos EUA, nos quais 41% das vacas multíparas apresentaram hipocalcemia subclínica nas primeiras 48 horas após o parto. No Brasil, observasse prevalências de hipocalcemia subclínica de até 73% em rebanho de vacas da raça Holandesa (SOUZA; GOMES e MILAGRES, 2015). Animais mestiços também têm demostrando significativos índices de hipocalcemia subclínica. Trabalhos realizados por nossa equipe, levantou a prevalência dessa doença em rebanhos compostos por animais da raça Girolando manejados em sistema semi-intensivo  e mostrou que a hipocalcemia subclínica esteve presente 30% dos animais avaliados (SOUZA et al., 2017). Além disso, a hipocalcemia subclínica é mais frequente em vacas com duas ou mais lactações, podendo atingir cerca de 50% da multíparas.

A hipocalcemia é capaz de causar grandes prejuízos aos produtores de leite, principalmente por causa do valor gasto no tratamento, queda na produção, morte de animais e das diversas doenças que podem ocorrer em decorrência da deficiência de cálcio (CORBELLINI, 1998). No Reino Unido o custo estimado foi de US$ 352,00 por caso. Já no EUA o custo foi de US$ 344,00 por caso. Essa doença é capaz de reduzir a vida produtiva das vacas de leite, além de aumentar cerca de 23 vezes o risco da incidência de cetose aproximadamente, 7 vezes mais chance de distorcia no parto, 4 vezes mais suscetibilidade a ter retenção de placenta e cerca de 5 vezes mais propensa a desenvolver mastites clínicas (DIAS, 2001). Segundo Chapinal (2012) uma vaca hipocalcêmica reduz sua produção diária em até 2,9Kg/leite, ou seja, 884,5Kg/leite em uma lactação de 305 dias.

Dessa forma, ferramentas de diagnóstico prático e rápido são de suma importância para o monitoramento desse distúrbio e no auxílio das tomadas de decisão frente ao eminente impacto econômico da doença.

O analisador portátil Ca+Vet proporciona que o cálcio seja mensurado com precisão e rapidez no campo.

Viste nosso site: www.ketovet.com.br

 

REFERÊNCIAS

 

CHAPINAL, N.; CARSON, M. E.; LEBLANC, S. J. The association of serum metabolites in the transition period with milk production and early-lactation reproductive performance. Journal of Dairy Science, v. 95, n. 3, p. 1301-1309, 2012.

CORBELLINI, C. N. LasEnfermedades de La producción em lãs vacas lecheras em transición. 5º SimposioLechero de Tandil. Estudio Ganadero Pergamino, Argentina. p 11-29, 1998.

CRNKIC, C.; MURATOVIC, S.; PIPLICA, S.; KAVAZOVIC, A.; KUTLACA, S. Blood plasma mineral profile and health status in postpartum cows fed an anionic diet before parturition. Turkish Journal of Veterinary and Animal Sciences, n. 34(3), p. 255–260. 2010.

 

DIAS, R. O. S. O alto custo das doenças do periparto, 2001. Disponível em: <http://www.milkpoint.com.br>. Acessoem: 12/05/2018

KOCK, G. M. S. Incidência e consequências da hipocalcemia subclínica no pós-parto de vacas leiteiras. 2013. 82f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Lisboa. Portugal, Lisboa, 2013

 

REINHARDT, T. A.; LIPPOLIS, J. D.; MCCLUSKEY, B. J.; GOFF, J. P.; HORST, R. L. Prevalence of hypocalcemia in dairy herds. The Veterinary Journal, p. 122-124, v.188, 2011.

SOUZA, R. C. et al. Prevalência de hipocalcemia em vacas leiteiras mestiças em função das composições genéticas, dos dias em lactação e da ordem de lactação. XII Congresso Brasileiro de Buiatria. Rev. Acad. Ciênc. Anim. 2017;15(Supl.2):S193-194  

Nenhum comentário

Publicar um comentário

0
    0
    Seu Carrinho
    Seu carrinho está vazioRetornar para a Loja