Cetose: fator predisponente a ocorrência de mastite

A mastite é uma das principais doenças que acometem vacas especializadas na produção de leite, ou seja, onde produz leite provavelmente terá problemas com mastite. Na maioria das vezes os técnicos focam nos fatores diretos como a presença de microrganismos, ambiente e que quando somado à ação do homem e possíveis erros de manejo criam condições favoráveis à contaminação da glândula mamária e o desenvolvimento da doença. Todavia, a ocorrência de mastite também está associado a baixa da imunidade e a processos inflamatórios que as vacas passam durante o período periparturiente. Neste contexto, vários estudos tem atribuído a cetose como fator desencadeador de imunossupressão e inflamação. Por conseguinte, não podemos perder em mente que quando se fala em doença temos que pensar em desafio, mas também na resistência dos animais. Dai surgem a relação de a cetose ser um fator predisponente a ocorrência de mastite. Trabalhos recentes tem mostrado claramente que vacas que apresentam cetose possuem concentrações de mediadores infamatórios (Interleucinas e fatores de necrose tumoral) aumentadas.  Desta forma, a ocorrência de cetose pode agravar o status inflamatório do animal e fazer com que este torne-se mais susceptíveis a ocorrência de mastite.

Portanto, se sua propriedade esta com um grande desafio no controle de mastite e as medidas diretas não estejam tendo eficácia no controle, comece a monitorar a ocorrência de cetose do seu rebanho já que ess doença pode ser um fator predisponte importante para a ocorrência de mastite.

Rafahel Carvalho de Souza e Rogério Carvalho Souza*

*Professores do departamento de Medicina Veterinária da PUC Minas e Consultores técnicos da R&R Aperfeiçoamento

Nenhum comentário

Publicar um comentário

0
    0
    Seu Carrinho
    Seu carrinho está vazioRetornar para a Loja